Voltar para Questões Diversas

Língua Portuguesa

Foram encontradas 381 questões
Exibindo questões de 1 a 100.

(Adaptado do ENADE, 2008) Quanto aos estigmas e pré-conceitos

Língua Portuguesa

(Adaptado do ENADE, 2008) Quanto aos estigmas e pré-conceitos linguísticos, vários estudiosos contemporâneos julgam que a forma como observamos o "errado" traz implicações para o ensino de língua.

Leia a seguinte passagem: Apresentei a uma turma de EJA (Educação de jovens e adultos) a família do fa, fe, fi, fo, fu.

De posse desses fragmentos, pedi-lhes que formassem palavras, combinando-os de forma a encontrar nomes de pessoas ou objetos com significação conhecida. Surgiram: Fada, faca, filho, e, em meio à grande alegria de pela primeira vez escrever algo, uma das mulheres me exibiu triunfante a palavra forfi. Então, solicitei para que lesse para todos. Sem nenhum constrangimento, anunciou: "Forfi serve para o fogo do fogão."

Analise os textos a seguir para responder a questão. Texto I:

Língua Portuguesa

Analise os textos a seguir para responder a questão.

Texto I:

A valorização social de certas variedades linguísticas em detrimento de outras, em decorrência de fatores socioeconômicos ou regionais, evoca questões associadas em alguma medida, ao poder, visto que aqueles que tiveram acesso à escolaridade, à instrução, à cultura revelam mais familiaridade com os aspectos linguísticos e obtêm maior facilidade na busca de oportunidades. Isso revela que a Língua é um poderoso instrumento de ascensão social.


Texto II:

O preconceito linguístico é aquele gerado pelas diferenças linguísticas existentes dentro de um mesmo idioma. De tal maneira, está associado às diferenças regionais desde dialetos, regionalismos, gírias e sotaques, os quais são desenvolvidos ao longo do tempo e envolvem os aspectos históricos, sociais e culturais de determinado grupo. O preconceito linguístico é um dos tipos de preconceito mais empregados na atualidade e pode ser um importante propulsor da exclusão social.

Fragmento extraído do Artigo: Preconceito Linguístico, publicado no website: Toda Matéria, disponível on line em: Acesso aos 20-10-2017.

A partir da leitura dos dois textos propostos, avalie as seguintes asserções e a relação proposta entre elas.


I. Um dos mais recorrentes tipos de preconceito presentes na atualidade é o linguístico, o qual pode atuar também como preconceito social.

Porque

II. Os indivíduos e grupos sociais que dominam a norma culta da Língua são valorizados socialmente.

Leia um trecho do poema O apanhador de desperdícios do poeta Manoel

Língua Portuguesa

Leia um trecho do poema O apanhador de desperdícios do poeta Manoel de Barros e classifique as informações a seguir em verdadeiras ou falsas.

“(...) Entendo bem o sotaque as águas Dou respeito às coisas desimportantes E aos seres desimportantes. Prezo insetos mais do que aviões Prezo a velocidade Das tartarugas mais que a dos mísseis (...)"

Fonte: BARROS, Manoel de. Memórias inventadas – A infância. São Paulo: Planeta, 2003, p. 9.

( ) A palavra “desimportantes” é formada pela adição de um sufixo e não contém prefixos.
( ) A palavra “desimportantes” é formada pela adição de um prefixo e de um sufixo que indica uma desinência de plural.
( ) Na palavra “aviões”, há um morfema que pode ser classificado como uma desinência de plural.
( ) A palavra “velocidade” é formada por um radical, uma vogal de ligação e um sufixo.
( ) A palavra “velocidade” contém uma consoante de ligação.

Pode-se estudar uma língua natural a partir de diferentes perspectivas

Língua Portuguesa

Pode-se estudar uma língua natural a partir de diferentes perspectivas a depender do objeto de análise. Os estudos podem envolver os sons, a palavra, a organização das palavras em sentenças, o sentido, o contexto e, até mesmo, o discurso. Nesse sentido, um estudo sobre a forma, formação e estrutura das palavras é comumente definido como um estudo:

“Faz-se a derivação prefixal acrescentando um prefixo à palavra

Língua Portuguesa

“Faz-se a derivação prefixal acrescentando um prefixo à palavra primitiva. Essa operação sempre produz alguma alteração no sentido do radical. Por exemplo, após o acréscimo do prefixo des- à palavra primitiva fazer, tem-se a palavra derivada desfazer. O efeito dessa prefixação é o de negar o conteúdo semântico do verbo fazer, pois o prefixo des- traduz a ideia geral de negação”

“Palavras como guarda-chuva (guarda + chuva), luso-brasileiro

Língua Portuguesa

“Palavras como guarda-chuva (guarda + chuva), luso-brasileiro (luso + brasileiro), sociolinguístico (sócio + linguístico) e agricultura (agri + cultura) são (...) formadas pela junção de duas bases, sejam estas formas presas – isto é, formas que dependem de outras para a sua ocorrência, como agri- em agricultura – ou livres, como chuva, brasileiro e assim por diante”.

Leia a notícia a seguir. Campanha incentiva pessoas a desapegar de

Língua Portuguesa

Leia a notícia a seguir.

Campanha incentiva pessoas a desapegar de seus bichinhos de pelúcia

Em Belo Horizonte, três postos de recolha estão disponíveis para receber as doações até o próximo dia 10 de abril


Até o dia 10 de abril, três pontos da capital mineira, na região centro-sul, estarão abertos para receber doação de bichinhos de pelúcia. A ideia faz parte da campanha "Amor de Pelúcia", criada pelo recifense Gustavo Arruda, e tem como objetivo promover o desapego das pessoas que acabam mantendo os mimos escondidos nos guarda-roupas sem utilidade.

O publicitário, de 25 anos, conta que após terminar um relacionamento no ano passado, resolveu abrir mão de algumas coisas pessoais que remetiam à antiga namorada. "Eram presentes que tinham um significado para mim, que eu não queria apagar, mas precisava desapegar. Então, achei que o melhor caminho seria doá-los para quem pudesse aproveitar de uma forma melhor", explica Gustavo.

[...]

Considere a sugestão de um programa de gramática de Irandé Antunes:

I - Focalizando o texto (como parte da atividade discursiva);

II - Focalizando a frase;

III - Focalizando a palavra.

Leia com atenção as definições a seguir, referentes aos substantivos

Língua Portuguesa

Leia com atenção as definições a seguir, referentes aos substantivos e aos adjetivos:
“Substantivo é a classe de lexema que se caracteriza por significar o que convencionalmente chamamos objetos substantivos, isto é, em primeiro lugar, substâncias (homem, casa, livro) e, em segundo lugar, quaisquer outros objetos mentalmente apreendidos como substâncias, quais sejam qualidades (bondade, brancura), estados (saúde, doença), processos (chegada, entrega, aceitação)” (BECHARA, 2009, p. 93).

“Adjetivo é a classe de lexema que se caracteriza por constituir a delimitação, isto é, por caracterizar as possibilidades designativas do substantivo, orientando delimitativamente a referência a uma parte ou a um aspecto do denotado”.

(BECHARA, 2009, p. 112).

Considerando o exposto, avalie as afirmativas a seguir:

I. O Substantivo é uma classe de palavra variável, porque pode ter sua forma alterada para indicar número, gênero ou grau.

II. O substantivo é a classe de palavras que serve para nomear seres ou objetos, por isso é considerada uma classe invariável quanto à sua função.

III. No português brasileiro (PB) os substantivos apresentam diferenças de gênero e número das palavras, por isso são consideradas palavras invariáveis.

IV. Os adjetivos pertencem à classe de palavras variáveis, porque podem ser modificados quando associados ao substantivo, por exemplo, “menina bonita”.

Os pronomes se constituem como uma classe de palavras bastante

Língua Portuguesa

Os pronomes se constituem como uma classe de palavras bastante versátil, com várias possibilidade de uso, eles apresentam diferentes tipos conforme suas funções. Dentre suas funções estão: se referir às pessoas do discurso, muito usado para substituir um substantivo já mencionado na frase; manifestar a posse de algo; fazer perguntas ou demonstrar a localização de objetos. Analise as frases a seguir e identifique quais tipos de pronome estão presentes.

I. Levarei alguns livros na viagem, com os quais pretendo encher o tempo.

II. Por que você está triste, algo o incomoda?

As classes de palavras invariáveis são categorias gramaticais que não

Língua Portuguesa

As classes de palavras invariáveis são categorias gramaticais que não mudam de forma para se adequarem ao gênero, número ou pessoa de um substantivo, elas mantêm a mesma forma independentemente do contexto em que são usadas. Dito de outro modo, essas classes de palavras não sofrem variações.

Com base nas informações apresentadas, identifique se são verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmativas a seguir.

I. Os artigos são palavras invariáveis que antepomos aos substantivos para dar aos seres um sentido determinado ou indeterminado.

II. As conjunções ligam duas frases ou elementos de uma frase, mas não podem classificada sob o aspecto morfológico, por isso são invariáveis.

III. As preposições são palavras que estabelecem relações entre outras palavras na frase, como "em", "de", "com”, elas são classificadas como invariáveis.

A unidade linguística comunicativa básica é o(a):

Língua Portuguesa

A unidade linguística comunicativa básica é o(a):

Verbos abundantes são aqueles que possuem duas ou mais formas

Língua Portuguesa

Verbos abundantes são aqueles que possuem duas ou mais formas equivalentes.

Assinale a opção que apresenta a frase que mostra uma troca indevida

Língua Portuguesa

Assinale a opção que apresenta a frase que mostra uma troca indevida entre parônimos.

“O consenso, na maior parte das atividades públicas, é fundamental

Língua Portuguesa

“O consenso, na maior parte das atividades públicas, é fundamental à base de estrutura política. Sem qualidade de liderança não há objetivo, mas sem número de adeptos ponderável, não há o que objetivar. A fragmentação excessiva de uma filosofia básica faz com que muitos movimentos revolucionários acabem tendo mais profetas que seguidores.”


Millôr Fernandes

“No trançado da história, o que interessa, afinal, é o resultado.

Língua Portuguesa

“No trançado da história, o que interessa, afinal, é o resultado. O fim acaba sempre justificando os meios desde que não esteja demasiado longe – em sacrifícios e tempo – do início.”

Millôr Fernandes.

Nas opções a seguir há uma frase inicial com um adjetivo destacado

Língua Portuguesa

Nas opções a seguir há uma frase inicial com um adjetivo destacado, seguida de uma frase em que esse adjetivo foi substantivado.

“Dá-se o nome de artigo às palavras o (com as variações a, os, as)

Língua Portuguesa

“Dá-se o nome de artigo às palavras o (com as variações a, os, as) e um (com as variações uma, uns, umas), que se antepõem aos substantivos para indicar que se trata de um ser já conhecido do leitor ou que se trata de um simples representante de uma dada espécie.”

CUNHA, Celso e CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Editora: Lexikon; 7ª edição; p. 199.

Considerando a oração “Todos estavam muito cansados”, assinale

Língua Portuguesa

Considerando a oração “Todos estavam muito cansados”, assinale a alternativa correta.

Cercada por beleza natural, Brasília entra na rota do turismo rural

Língua Portuguesa

Cercada por beleza natural, Brasília entra na rota do turismo rural

Durante muito tempo, o turismo no Distrito Federal foi relacionado à arquitetura, aos momentos cívicos e à religiosidade. Nos últimos anos, a cidade abraçou o potencial profetizado por Dom Bosco e passou a apostar nos recursos naturais, criando rotas turísticas rurais.

Estudo aponta potencial agrícola do Distrito Federal (DF) De acordo

Língua Portuguesa

Estudo aponta potencial agrícola do Distrito Federal (DF)

De acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Estatística do Distrito Federal (IPEDF), moradores de Brasília e regiões do DF buscam cada vez mais consumir os alimentos produzidos pela agriculta próxima aos centros urbanos. O estudo mostra que apenas 22% das terras do DF é de solo exposto. Se 1% desse total for destinado à agricultura urbana, é possível aumentar em 77,5% a produção de hortaliças (com 14.212 toneladas/ano) e 4,9% a de frutas (com 17.187 toneladas/ano).

O propósito comunicativo principal do texto é:

Língua Portuguesa

Questão 02 - Enem 2020

Agricultura Familiar no Distrito Federal (DF) Com 20 toneladas de

Língua Portuguesa

Agricultura Familiar no Distrito Federal (DF)

Com 20 toneladas de alimentos produzidos por semana, a agricultura familiar do DF atende mais de 40 mil pessoas por dia. A informação é da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

Critérios da redação oficial O Governo do Distrito Federal (GDF)

Língua Portuguesa

Critérios da redação oficial

O Governo do Distrito Federal (GDF) é uno, independentemente de qual órgão ou entidade seja o redator ou o signatário do documento. A correta digitação de textos, a uniformização do leiaute, a correta diagramação dos documentos oficiais e a clareza do texto permitem a eficácia daquilo que se deseja transmitir e deve ser uma premissa de todos os órgãos e entidades para garantir um padrão de linguagem a ser utilizado na administração pública.

Agrofloresta melhora vida de agricultores do Descoberto e Paranoá

Língua Portuguesa

Agrofloresta melhora vida de agricultores do Descoberto e Paranoá, no DF

O orgulho de ser agrofloresteira está nas palavras e na expressão de Adriana Rodrigues Barros. “Hoje estamos plantando e comercializando nossos produtos em uma feira de orgânicos em Brasília, que já garante, em média, R$ 1,6 mil por mês”, afirma a produtora. Ela faz pare das dezenas de famílias moradoras de áreas nas bacias do Descoberto e do Paranoá, no Distrito Federal, beneficiadas pelos Sistemas Agroflorestais (SAFs) mecanizados, uma iniciativa do projeto CITinova, executada pela Secretaria do Meio Ambiente (SEMA-GDF).

Mercado bom para peixe no Distrito Federal Com cerca de 45 mil

Língua Portuguesa

Mercado bom para peixe no Distrito Federal

Com cerca de 45 mil toneladas consumidas por ano, o DF é, atualmente, um dos maiores consumidores de pescado do Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No entanto, a produção no DF ainda está abaixo do esperado. Somente 15% desse total, aproximadamente 6 mil toneladas, têm origem na capital e no entorno, estima a Emater – DF. Mais de 80% do que é comercializado no DF vêm de fora.

Lúpulo no Distrito Federal (DF) Quem é amante de cerveja já deve ter

Língua Portuguesa

Lúpulo no Distrito Federal (DF)

Quem é amante de cerveja já deve ter ouvido alar no lúpulo, uma planta utilizada na fabricação de bebida para conferir amargor e também aroma ao produto. No dia 25 de janeiro deste ano, produtores rurais puderam ver de perto uma lavoura repleta com as flores que são utilizadas na produção do DF, em uma propriedade no Núcleo Rural Ponte Alta, no Gama. O encontro, promovido pela Emater – DF, teve o intuito de tirar dúvidas e apresentar o plantio crescente na região para aproximadamente 50 produtores rurais interessados.

A frase direta “O professor disse: A prova será na próxima semana.”

Língua Portuguesa

A frase direta “O professor disse: A prova será na próxima semana.”, passada para o discurso indireto ficará como?

Localize a oração subordinada na seguinte frase: “Enquanto estudava

Língua Portuguesa

Localize a oração subordinada na seguinte frase:

“Enquanto estudava para as provas, João revisava suas anotações.”

As palavras ABSOLUTAMENTE e COM CERTEZA estão inseridas em qual classe

Língua Portuguesa

As palavras ABSOLUTAMENTE e COM CERTEZA estão inseridas em qual classe gramatical?

Na frase “O atleta correu rapidamente pela pista”, identifique

Língua Portuguesa

Na frase “O atleta correu rapidamente pela pista”, identifique o advérbio e a palavra que ele está modificando.

No trecho do livro O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry:

Língua Portuguesa

No trecho do livro O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry: “Num mundo onde se faz deserto, temos sede de encontrar um amigo”. Qual palavra é um homônimo homógrafo?

A língua é um enorme iceberg flutuando no mar do tempo, e a gramática

Língua Portuguesa

A língua é um enorme iceberg flutuando no mar do tempo, e a gramática normativa é a tentativa de descrever apenas uma parcela mais visível dele, a chamada norma-padrão. Essa descrição, é claro, tem seu valor e seus méritos, mas é parcial (no sentido literal e figurado do termo) e não pode ser autoritariamente aplicada a todo o resto da língua - afinal, a ponta do iceberg que emerge representa apenas um quinto do seu volume total. Mas é essa aplicação autoritária, intolerante e repressiva que impera na ideologia geradora do preconceito linguístico.

BAGNO, Marcos. Preconceito linguístico – o que é, como se faz. 52 ed. São Paulo: Loyola, 2009, p. 20.

Diante do contexto apresentado, complete as lacunas da sentença a seguir.

Tendo em vista que há vários ____________________________ de linguagem, é natural que se pergunte o que é considerado ____________________________ e o que é ____________________________ em um determinado idioma. Na verdade, devemos pensar a ____________________________ em termos de ____________________________.

Sobre as regras de acentuação dos grupos ee, nos verbos ter, vir

Língua Portuguesa

Sobre as regras de acentuação dos grupos ee, nos verbos ter, vir e derivados, temos:

· Permanece o acento circunflexo para a terceira pessoa do plural dos verbos ter e derivados (eles têm, retêm, contêm etc.), vir e derivados (Eles vêm, advêm etc.).

· Permanece acento agudo para a terceira pessoa do singular para derivados do verbo ter, como conter (Ele contém), manter (Ele mantém), reter (Ele retém).

Os recursos de estabelecimento da coesão textual podem se dar

Língua Portuguesa

Os recursos de estabelecimento da coesão textual podem se dar diferentemente, dependendo do tipo de texto. E com a coerência, ocorre o mesmo. Nos gêneros narrativos, por exemplo, devem-se levar em conta aspectos como a sequência dos acontecimentos, o tipo de cenário exigido pelo enredo, os tipos de personagens (ações, características condizentes). Às vezes, uma simples sequência de palavras pode trazer embutido um enredo que não nos é contado diretamente, como no poema a seguir: mulher, rua, multidão, trânsito, ruído, pressa, bolsa, perda, grito, polícia.

Ao aplicarmos nosso conhecimento de mundo para entender a sequência de palavras que forma o poema, podemos afirmar que:

I. Não é necessário que um texto tenha marcas linguísticas que estabelecem relações de identidade, retomada ou conexão entre seus termos para ser considerado coerente.
II. Apesar de ser formado apenas por substantivos, podemos reconhecer no breve poema uma sequência narrativa, com enredo, personagem e cenário.
III. Nosso conhecimento de mundo permite que associemos as palavras entre si e, por meio de inferências, imaginemos a situação, os participantes dela, a sequência dos acontecimentos, bem como seu provável desfecho.
IV. Não conseguimos calcular o sentido do texto, pois é necessário também aplicarmos nosso conhecimento linguístico.

Você está caminhando por uma e vê o seguinte cartaz fixado em uma

Língua Portuguesa

Você está caminhando por uma e vê o seguinte cartaz fixado em uma porta da padaria: “Não atenderemos amanhã, mais entregaremos as encomendas previstas. Agradecemos a compreensão”. Você logo reconhece que o advérbio “mais” foi usado no lugar da conjunção, com sentido de adversidade, “mas” e que mesmo assim você conseguiu compreender o sentido da mensagem. Considerando as contribuições das gramáticas dos textos e dos estudos gerativistas para a linguística textual, como você explicaria a sua capacidade de compreender a mensagem e identificar a troca da conjunção por um advérbio de intensidade cometida pelo padeiro.

A noção de texto considera, a partir da virada pragmática

Língua Portuguesa

A noção de texto considera, a partir da virada pragmática, três importantes princípios:

1. os atos de fala;
2. a atividade verbal consciente;
3. a atividade interacional.

Analise as sentenças: I – Estavam a fim de dar uma festa épica.

Língua Portuguesa

Analise as sentenças:

I – Estavam a fim de dar uma festa épica.
II – Corremos cerca de três quilômetros como parte do treinamento.
III – O último ônibus passou há cerca de dez minutos.

(FUVEST-SP, adaptada) Pensando nos conceitos de homonímia e paronímia

Língua Portuguesa

(FUVEST-SP, adaptada) Pensando nos conceitos de homonímia e paronímia, leia a frase abaixo:

No último ____ da orquestra sinfônica, houve ____entre os convidados, apesar de ser uma festa ____.

Em 1992, a indústria cinematográfica do país entrou numa crise

Língua Portuguesa

Em 1992, a indústria cinematográfica do país entrou numa crise _______ só começou a se recuperar na segunda metade da década de 1990.

(Adaptado de Eduardo Bueno, op.cit.)

Observe as sentenças abaixo: I – Não temos interesse em participar do

Língua Portuguesa

Observe as sentenças abaixo:

I – Não temos interesse em participar do evento.
II – Não temos interesse em participarmos do evento.
III – A palestra os obrigou a atrasar o retorno para casa.
IV – A palestra os obrigou a atrasarem o retorno para casa

Leia o texto a seguir para responder à questão: Papos - Me disseram

Língua Portuguesa

Leia o texto a seguir para responder à questão:

Papos

- Me disseram...

- Disseram-me.

- Hein?

- O correto é "disseram-me". Não "me disseram".

- Eu falo como quero. E te digo mais... Ou é "digo-te"?

- O quê?

- Digo-te que você...

- O "te" e o "você" não combinam.

- Lhe digo?

- Também não. O que você ia me dizer?

- Que você está sendo grosseiro, pedante e chato. E que eu vou te partir a cara. Lhe partir a cara. Partir a sua cara. Como é que se diz?

- Partir-te a cara.

- Pois é. Parti-la hei de, se você não parar de me corrigir. Ou corrigir-me.

- É para o seu bem.

- Dispenso as suas correções. Vê se esquece-me. Falo como bem entender. Mais uma correção e eu...

- O quê?

- O mato.

- Que mato?

- Mato-o. Mato-lhe. Mato você. Matar-lhe-ei-te. Ouviu bem?

- Pois esqueça - o e pára - te. Pronome no lugar certo é elitismo!

- Se você prefere falar errado...

- Falo como todo mundo fala. O importante é me entenderem. Ou entenderem - me?

- No caso... não sei.

- Ah, não sabe? Não o sabes? Sabes - lo não?

- Esquece.

- Não. Como "esquece"? Você prefere falar errado? E o certo é "esquece" ou"esqueça"? Ilumine - me. Me diga. Ensines-lo-me, vamos.

- Depende.

- Depende. Perfeito. Não o sabes. Ensinar-me-lo-ias se o soubesses, mas não sabes-o.

- Está bem, está bem. Desculpe. Fale como quiser.

- Agradeço-lhe a permissão para falar errado que mas dás. Mas não posso mais dizer-lo-te o que dizer-te-ia.

- Por quê?

- Porque, com todo este papo, esqueci-lo.


VERÍSSIMO, Luiz Fernando. Comédias para se ler na escola. Rio de Janeiro: Objetiva 2001, p. 65-6.

Leia as sentenças a seguir: I – Você fará uma boa prova, desde que se

Língua Portuguesa

Leia as sentenças a seguir:

I – Você fará uma boa prova, desde que se esforce.
II – Apesar de não terem terminado a exposição, alguns se retiraram da reunião.
III – Realizamos nosso projeto, conforme as especificações da biblioteca.

As orações advérbios têm a função de advérbio. Nesta cláusula

Língua Portuguesa

As orações advérbios têm a função de advérbio. Nesta cláusula, temos alguma conjunção subordinada para conectar a cláusula dependente (orações advérbios) à cláusula independente. A conjunção liga as cláusulas advérbios à palavra da cláusula independente que a cláusula advérbio irá modificar. Mangueiras são feitas para identificar o local, o tempo, a causa e o propósito de uma ação. A cláusula advérbio responde às perguntas: onde?, quando? e porquê? e em que condições? Da mesma forma que temos tipos de advérbios em inglês, temos alguns tipos de conjunções subordinadas que compõe a cláusula advérbio.

De acordo com as informações da tabela a seguir, faça a associação dos tipos de cláusula adverbial na Coluna A com seus respectivos exemplos, apresentados na Coluna B.

COLUNA A
I. Tempo
II. Maneiras
III. Razão

COLUNA B
1. Jack pegou um peixe enorme para jantar.
2. Jack pegou um peixe enorme pouco antes do pôr do sol.
3. Jack pegou um peixe enorme com sua nova vara

Leia o breve texto seguinte e atente para as asserções que o sucedem

Língua Portuguesa

Avalie a relação entre as asserções ora propostas e assinale a alternativa que corretamente as expressa.

O ANALFABETO POLÍTICO O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele

Língua Portuguesa

O ANALFABETO POLÍTICO

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, da farinha, da carne, do aluguel, do sapato, do remédio, depende das decisões políticas.

O analfabeto político é tão desinformado que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia política.

Não sabe que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, assaltante e o pior de todos os bandidos, o político corrupto e explorador.

Uma resenha escrita sobre livro ou filme divide-se, em geral

Língua Portuguesa

Uma resenha escrita sobre livro ou filme divide-se, em geral, em três partes: introdução, desenvolvimento (resumo da história, avaliação/opinião e argumentos) e conclusão. Verifique se estão presentes nessa resenha:

a) a introdução.
b) o desenvolvimento.
c) a conclusão.​

I. Resumo da história.
II. Opiniões/avaliação.
III. Argumentos.

Leia o texto a seguir. A vida já tem suas complicações e como sua

Língua Portuguesa

Leia o texto a seguir.

A vida já tem suas complicações e como sua mente está continuamente agitada você a complica ainda mais. Se esse for seu caso, você está com a mais comum e moderna síndrome psíquica: a síndrome SPA, a síndrome do pensamento acelerado. Quando pesquisei essa síndrome, descobri que nem sempre ela representa uma doença psíquica, mas um estilo doentio de vida. Como está seu estilo de vida?
CURY, Augusto Jorge. Você é insubstituível: este livro revela a sua biografia. Rio de Janeiro: Sextante, 2002. p.81.

Releia as orações subordinadas adverbiais retiradas do texto:

“...como sua mente está continuamente agitada ...”
“...Se esse for seu caso ...”
“...Quando pesquisei essa síndrome...”

“Foi pelo odor e não pelo rosto que a escolhi para minha mulher.”

Língua Portuguesa

“Foi pelo odor e não pelo rosto QUE a escolhi para minha mulher.”

Em 38 anos, o Brasil queimou 185,7 milhões de hectares, uma área

Língua Portuguesa

Em 38 anos, o Brasil queimou 185,7 milhões de hectares, uma área equivalente aos territórios da Colômbia e do Chile juntos, ou 21,8% do território nacional. É o que revelam os dados do MapBiomas Fogo, mapeamento que contabilizou a extensão consumida pelas chamas entre os anos de 1985 e 2022 a partir de imagens de satélite. “Com essa série histórica de dados de fogo, podemos entender o efeito do clima e da ação humana sobre as queimadas e os incêndios florestais”, afirma Ane Alencar, coordenadora do MapBiomas Fogo e diretora de Ciência no Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM). Usando imagens geradas por três satélites Landsat, foi rastreada a ação do fogo em todos os tipos de uso e cobertura da terra em território brasileiro. De acordo com os resultados, o Cerrado e a Amazônia foram os biomas mais atingidos, correspondendo a cerca de 86% da área queimada. O Cerrado queimou em média 7,9 milhões de hectares/ano, ou seja, uma área equivalente ao território da Escócia a cada ano. No caso da Amazônia, a média foi de 6,8 milhões 20 de hectares/ano. Quando se analisam as proporções das áreas atingidas dentro dos biomas, o Pantanal foi mais afetado: teve 51% de seu território consumido pelo fogo naquele período.

Segundo a análise, ocorreram em vegetação nativa mais de dois terços (68,9%) das queimadas e dos incêndios, embora a proporção varie entre os biomas. Campos e savanas, por exemplo, são tipos de vegetação nativa mais afetados, enquanto Amazônia e Mata Atlântica apresentaram maior incidência de fogo em áreas antrópicas, isto é, alteradas pelo ser humano, tais como zonas de pastagem.

Mato Grosso foi o estado que apresentou maior ocorrência de fogo no período analisado, seguido por Pará e Maranhão. Já os municípios que mais queimaram no país foram Corumbá (MS), São Félix do Xingu (PA) e Formosa do Rio Preto (BA). Segundo Ane, o fogo nem sempre é indesejável.

“O fogo só é ruim quando é utilizado de forma inadequada e em biomas que não dependem do fogo para se manter, como a Amazônia. Em biomas como o Cerrado, o Pantanal, o Pampa, o fogo tem um papel ecológico e deve ser manejado de forma correta para não virar um agente de destruição”, explica a especialista.

Embora seja natural em alguns ecossistemas, os dados mostram que a frequência e a intensidade do fogo têm aumentado nos últimos anos, devido ao desmatamento e às mudanças climáticas, que afetam as temperaturas e intensificam os períodos de seca.

“Para isso, as práticas relacionadas ao Manejo Integrado do Fogo (MIF) são importantes, pois elas podem, através das queimas prescritas e controladas, reduzir a quantidade de material combustível e evitar grandes incêndios”, afirma Ane. Os dados completos do mapeamento podem ser acessados gratuitamente na plataforma do MapBiomas, organização que une universidades, ONGs e empresas de tecnologia.

O estudo disponibiliza ainda recortes por frequência, bioma, estado, município, bacia hidrográfica, unidade de conservação, terra indígena, assentamentos e áreas com Cadastro Ambiental Rural (CAR). Este cadastro é um registro público obrigatório para todos os imóveis rurais e reúne informações para o planejamento ambiental e econômico e para o combate ao desmatamento.

Disponível em https://www.cartacapital.com.br/sustentabilidade/brasil-queimou-218-do-seu-territorio-entre-1985-e-2022/

Assinale a alternativa em que é adequada a substituição do termo

Língua Portuguesa

Assinale a alternativa em que é adequada a substituição do termo destacado por um pronome.

Assinale a alternativa em que a vírgula empregada no trecho pode ser

Língua Portuguesa

Assinale a alternativa em que a vírgula empregada no trecho pode ser suprimida, sem prejudicar a sua correção gramatical.

O que hoje entendemos por governo constitucional, não importa se de

Língua Portuguesa

O que hoje entendemos por governo constitucional, não importa se de natureza monárquica ou republicana, é, em essência, um governo controlado pelos governados, restringido em suas competências de poder e em sua aplicação de força. É indiscutível que a restrição e controle ocorrem em nome da liberdade, tanto da sociedade como do indivíduo; trata-se de estabelecer limites, os mais amplos possíveis e necessários, para o espaço estatal do governar, a fim de possibilitar a liberdade fora de seu espaço. Portanto, não se trata, em todo caso, de possibilitar a liberdade de agir e de atuar politicamente; ambos continuam sendo prerrogativa do governo e dos políticos profissionais que se oferecem ao povo como seus representantes no sistema de partidos, para representar seus interesses dentro do Estado e, se for o caso, contra o Estado. A relação entre política e liberdade, em outras palavras, também é entendida nos tempos modernos de modo a ser a política um meio e a liberdade seu objetivo mais elevado; portanto, a relação em si não mudou, embora o conteúdo e a extensão da liberdade se tenham modificado de forma bastante extraordinária. Assim, a pergunta sobre o sentido da política é respondida por categorias e conceitos que são extraordinariamente antigos e por conseguinte também extraordinariamente veneráveis. Embora os tempos modernos se diferenciem, de forma tão decisiva, em seus aspectos políticos, de todos os tempos anteriores, assim como também nos aspectos espirituais e materiais, só o fato da emancipação das mulheres e da classe operária, quer dizer de grupos de homens que nunca antes podiam mostrar-se na vida pública, dá um rosto radicalmente novo a todas as questões políticas.



ARENDT, Hannah. O que é política?. Organização de Ursula Ludz. 3ª ed. Tradução de Reinaldo Guarany. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

NA MINHA RUA Na minha rua há um menininho doente. Enquanto os

Língua Portuguesa

NA MINHA RUA



Na minha rua há um menininho doente.

Enquanto os outros partem para a escola,

Junto à janela, sonhadoramente,

Ele ouve o sapateiro bater sola



Ouve também o carpinteiro, em frente,

Que uma canção napolitana engrola.

E pouco a pouco, gradativamente,

O sofrimento que ele tem se evola...



Mas nesta rua há um operário triste:

Não canta nada na manhã sonora.

E o menino nem sonha que ele existe.



Ele trabalha silenciosamente...

E está compondo este soneto agora

Pra alminha boa do menino doente... (Mario Quintana)

Palavras primitivas são aquelas que servem de base para que outras

Língua Portuguesa

Palavras primitivas são aquelas que servem de base para que outras palavras sejam formadas. Essas outras palavras que se originam de um radical primitivo são chamadas de derivadas.

Infere-se da charge que:

Língua Portuguesa

Questão 02 - Enem 2020



Infere-se da charge que:

Em se tratando de termos estruturais de uma resenha crítica, mesmo

Língua Portuguesa

Em se tratando de termos estruturais de uma resenha crítica, mesmo sabendo que o gênero possui uma estrutura livre, faz-se necessário o destaque de alguns elementos, quais?

O Flamengo começou a partida no ataque, enquanto o Botafogo procurava

Língua Portuguesa

O Flamengo começou a partida no ataque, enquanto o Botafogo procurava fazer uma forte marcação no meio campo e tentar lançamentos para Victor Simões, isolado entre os zagueiros rubro-negros. Mesmo com mais posse de bola, o time dirigido por Cuca tinha grande dificuldade de chegar à área alvinegra por causa do bloqueio montado pelo Botafogo na frente da sua área. No entanto, na primeira chance rubro-negra, saiu o gol. Após cruzamento da direita de Ibson, a zaga alvinegra rebateu a bola de cabeça para o meio da área. Kléberson apareceu na jogada e cabeceou por cima do goleiro Renan. Ronaldo Angelim apareceu nas costas da defesa e empurrou para o fundo da rede quase que em cima da linha: Flamengo 1 a 0.
Disponível em: http://momentodofutebol.blogspot.com (adaptado).

Regência nominal é a relação entre um nome (substantivo, adjetivo

Língua Portuguesa

Regência nominal é a relação entre um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) e os termos que ele rege. Considerando essas informações e o seu estudo sobre o assunto, analise as orações seguintes, pensando em como se regem os substantivos e adjetivos em destaque:

"O campeonato de carros elétricos, habituado ______ corridas no centro das grandes cidades, teve que enfrentar a crise causada pena pandemia de modo criativo. " - "Google Maps retorna ao Apple Watch e se torna compatível ______ painel do CarPlay [atualizado 2x]"

Diferentes gêneros textuais precisam ser conhecidos pelos professores

Língua Portuguesa

Diferentes gêneros textuais precisam ser conhecidos pelos professores. Uma das características principais desses textos está associada aos recursos que é a celeridade e o dinamismo, não só em sua transmissão, mas também no tempo de leitura.

De acordo com as informações apresentadas na tabela a seguir, faça a associação da definição contidas na Coluna A e com o gênero textual apresentadas na Coluna B.

COLUNA A
1. Gifs.
2. Blog.
3. Vlog.
4. Podcasts.
5. Memes.

COLUNA B
I- É uma derivação de um outro gênero textual onde vídeos são usados. A plataforma mais usada é o Youtube, mas há outras também gratuitas.
II- Talvez tenha sido a primeiro gênero digital usado pela internet após o convencional texto. são formas usadas para representar sentimentos e reações emotivas.
III- São mensagens de áudio que abordam assuntos jornalísticos e instrucionais.
IV- São mensagens na forma de textos ou imagens, que são usadas para satirizar algum fato ocorrido.
V- É uma página na Internet cuja característica é a constante atualização de informações de forma acumulativa. É um espaço com possibilidades de natureza mais eclética quanto a criatividade e intencionalidades dos seus autores permitir.

O Arcadismo caracterizou-se, entre outras coisas, pela recorrência

Língua Portuguesa

O Arcadismo caracterizou-se, entre outras coisas, pela recorrência ao teor clássico, em que deuses mitológicos eram recorrentes. Considerando este pressuposto, considere o poema a seguir:

“Para cantar de Amor tenros cuidados,
Tomo entre vós, ó montes, o instrumento,
Ouvi pois o meu fúnebre lamento;
Se é que de compaixão sois animados: Já vós vistes que aos ecos magoados
Do Trácio Orfeu parava o mesmo vento;
Da lira de Anfião ao doce acento Se viram os rochedos abalados.”

“Descalça vai para a fonte, Leanor pela verdura; Vai fermosa

Língua Portuguesa

“Descalça vai para a fonte, Leanor pela verdura;
Vai fermosa, e não segura.
A talha leva pedrada,
Pucarinho de feição,
Saia de cor de limão,
Beatilha soqueixada;
Cantando de madrugada,
Pisa as flores na verdura: Vai fermosa, e não segura”

“A carta, […], ocupa o estatuto de crônica da obra de arte.

Língua Portuguesa

“A carta, […], ocupa o estatuto de crônica da obra de arte. A crítica genética, ao considerar a epistolografia um “canteiro de obras” ou um “ateliê”, busca descortinar a trama da invenção, o desenho de um ideal estético, quando examina as faces dos processos da criação” Os pressupostos de Moraes (S/D) dão conta do papel essencial da Epistolografia na construção do perfil literário e artístico de um dado momento histórico. Isso porque passa a ser visto como um instrumento de criação de enredos e de sentidos sociais e políticos. No contexto da literatura barroca, entendemos que a Epistolografia assume função precípua, já que semiotiza aspectos da agonia barroca por intermédio de cartas, estabelecendo um ritual interativo entre o homem e Deus.

Tomando como referência a Epistolografia no Barroco, julgue as afirmativas a seguir em (V) Verdadeiras ou (F) Falsas.

( ) De acordo com Moraes (s/d), a Epistolografia não colabora para o processo de construção de sentidos, já que a narrativa ocorre de maneira fidedigna.
( ) A epistolografia barroca é caracterizada pelas mesmas marcas linguísticas do sermão eclasiástico, já que o tempo todo Deus se faz presente na literatura barroca.
( ) A Epistolografia do Barroco é caracterizada pelas disjunções de valores entre o céu e a terra, conhecendo situações de angústia vivenciadas pelo homem na época.

(...) os simbolistas conservaram vários hábitos de versificação

Língua Portuguesa

(...) os simbolistas conservaram vários hábitos de versificação dos parnasianos. Mas de acordo como seu desejo de mistério e fluidez, buscaram ritmos mais musicais e insinuantes, tornando-os eficazes por meio de certos recursos expressivos, como a atenuação e deslocamento das tônicas, o uso do dístico, a repetição sistemática de palavras e frases, que dão ao poema uma força por vezes sonambúlica de envolvimento (1988, p. 296).

Como escola literária, teve suas origens na obra As Flores do Mal

Língua Portuguesa

Como escola literária, teve suas origens na obra As Flores do Mal, do poeta Charles Baudelaire. Ademais, os trabalhos de Edgar Allan Poe, os quais Baudelaire admirava e traduziu para francês, foram de significativa influência, além de servirem como fontes de diversos tropos e imagens. Fundamentou-se principalmente na subjetividade, no irracional e na análise profunda da mensagem, a partir da sinestesia.

Considerando-se as condições em que foram compostas, geralmente uma

Língua Portuguesa

Considerando-se as condições em que foram compostas, geralmente uma tradição oral ou, se escritas, provisoriamente anotadas, principalmente por não haver intenção de registrá-las, muitas das cantigas foram perdidas. No entanto, há de se considerar a existência de documentos que trazem coletâneas de cantigas de diferentes tipos e autores variados – são os chamados cancioneiros.

Sobre o exposto, associe os itens, utilizando o código a seguir:

I- Cancioneiro da Ajuda.
II- Cancioneiro da Biblioteca Nacional.
III- Cancioneiro da Vaticana.

( ) Também constitui uma cópia italiana do século XVI e contém uma coletânea de 1.205 cantigas, dos mais diversos tipos: amor, amigo, escárnio e maldizer. Foi localizado em 1840, na Biblioteca do Vaticano.
( ) Sua composição parece datar do século XIII, no reinado de Afonso III. Contém 310 cantigas, a maior parte delas de amor.
( ) Conhecido também pelo nome dos dois italianos que o possuíram – Cancioneiro Collocci-Brancuti –, contém 1.647 cantigas, de todos os tipos, cujos autores datam dos reinados de Afonso III e D. Dinis. Trata-se de uma cópia italiana do século XVI.

O primeiro período da literatura portuguesa, marcado pelo

Língua Portuguesa

O primeiro período da literatura portuguesa, marcado pelo florescimento das chamadas cantigas, recebe o nome de Trovadorismo, por serem estas cantigas poemas criados com o objetivo de que fossem cantados, acompanhados por instrumentos musicais, entre os quais a flauta, a viola, o alaúde além de outros utilizados na época.

O início da literatura portuguesa traz a marca do lirismo

Língua Portuguesa

O início da literatura portuguesa traz a marca do lirismo trovadoresco, antecedendo a prosa, para a qual o processo evolutivo será mais lento. Veem-se, assim, dois períodos marcando o surgimento da literatura portuguesa: o primeiro, lírico, que cultivou a poesia lírica (cantigas), e o segundo, a prosa, trazendo as novelas de cavalaria, originárias das canções de gesta, que eram composições poéticas em forma de canções que narravam feitos heróicos.

Considerando o contexto apresentado, avalie as seguintes asserções e a relação proposta entre elas.

I. Com o surgimento das cantigas, o primeiro período da literatura portuguesa recebe o nome de Trovadorismo.

PORQUE

II. Este tipo de poesia foi originalmente criada para ser apresentada como peça teatral da época.

A literatura portuguesa se constituiu a partir de um espaço geográfico

Língua Portuguesa

A literatura portuguesa se constituiu a partir de um espaço geográfico uno, ou seja, o território português. Sabe-se, outrossim, que ela se alargou pelas várias partes do mundo, via aventuras marítimas das grandes navegações, as quais resultaram nos descobrimentos ultramarinos, na ampliação do comércio, na concretização de interesses religiosos com a propagação do cristianismo, nos séculos XV e XVI.

A Literatura Jesuítica é consequência de um movimento que ficou

Língua Portuguesa

A Literatura Jesuítica é consequência de um movimento que ficou conhecido como Contrarreforma, sendo uma reação ao Protestantismo, que enxergava os dogmas da Igreja Católica como autoritários demais. Assim, os membros do clero decidiram reavaliá-la e trazer os fiéis de volta. E quando conseguiram isso, foram solicitados pelos portugueses para catequizar os índios.

Leia o trecho: “A segunda capitania que adiante se segue, se chama

Língua Portuguesa

Leia o trecho:

“A segunda capitania que adiante se segue, se chama Pernambuco: a qual conquistou Duarte Coelho, e edificou sua principal povoação em um alto à vista do mar, que está cinco léguas desta ilha de Tamaracá em altura de oito grau: chama-se Olinda, é uma das mais nobres e populosas vilas que havia nestas partes.”

Com base nos tipos de textos escritos pelos jesuítas, inclusive, sendo

Língua Portuguesa

Com base nos tipos de textos escritos pelos jesuítas, inclusive, sendo considerados de alto valor literário, esses missionários vieram para cá a pedido dos portugueses, e, ao terem acesso às terras brasileiras, passaram a relatar o que observavam em relação à flora, fauna e a sua gente.

A alternativa em que todas as palavras foram formadas pelo mesmo

Língua Portuguesa

A alternativa em que todas as palavras foram formadas pelo mesmo processo de composição é:

O emprego da vírgula está plenamente de acordo com as exigências

Língua Portuguesa

O emprego da vírgula está plenamente de acordo com as exigências da norma-padrão da Língua Portuguesa em:

Em relação ao uso do acento indicativo de crase, assinalar a

Língua Portuguesa

Em relação ao uso do acento indicativo de crase, assinalar a alternativa CORRETA:

Em relação à flexão de número dos substantivos, marcar C para

Língua Portuguesa

Em relação à flexão de número dos substantivos, marcar C para as sentenças Certas, E para as Erradas e, após, assinalar a alternativa que apresenta a sequência CORRETA:

( ) “Trava-línguas” é o plural de “trava-língua”.
( ) O plural de “teco-teco” é “teco-tecos”.
( ) “Cachorros-quentes” é o plural de “cachorro-quente”.

Reconhecendo-se a função exercida pelo emprego do travessão em

Língua Portuguesa

Reconhecendo-se a função exercida pelo emprego do travessão em “[...] um recurso da imaginação poética e um ornamento retórico – é mais uma questão de linguagem extraordinária do que de linguagem ordinária.” (1º§), assinale a afirmativa correta.

Considerando o emprego dos modos verbais, dentre os fragmentos

Língua Portuguesa

Considerando o emprego dos modos verbais, dentre os fragmentos destacados a seguir, pode-se afirmar que há equivalência com EXCEÇÃO de:

Considere as seguintes sentenças: I. Ele se pronunciou sobre

Língua Portuguesa

Considere as seguintes sentenças:

I. Ele se pronunciou sobre o caso.
II. Não sabia dizer se estava certo ou errado.
III. O projeto terá sucesso, se todos fizerem a sua parte.

A respeito do uso dos “porquês” em língua portuguesa, considere

Língua Portuguesa

A respeito do uso dos “porquês” em língua portuguesa, considere as seguintes afirmativas:

1. Não sei por que há pessoas que não acreditam na ida do homem à Lua.
2. Os vereadores não foram à palestra sobre o meio-ambiente porque o prefeito não lhes concedeu verba suficiente para as despesas.
3. Porque há tanta incompreensão no mundo hoje em dia?
4. Um dos funcionários da área de TI faltou ao trabalho e não disse por quê.

[...] Nunca houve tanto agronegócio no mundo. Nunca se consumiram

Língua Portuguesa

[...] Nunca houve tanto agronegócio no mundo. Nunca se consumiram tanta carne, frango e outras proteínas básicas. Nunca houve tanto alimento para o homem – e nunca se produziu e vendeu tanto produto artificial para o campo. Ao mesmo tempo, jamais a população do planeta foi tão grande como hoje. Nem tão bem alimentada, até por razões legais – uma Volkswagen, por exemplo, é obrigada por lei a oferecer dois tipos de proteínas em seus refeitórios, no almoço e no jantar, todos os dias. Só consegue cumprir a lei se acha frango e boi em quantidade suficiente – e para isso frangos e bois têm de engordar cada vez mais depressa, o que é impossível sem hormônios, rações com complementos químicos, vacinas. Milhares de outras empresas brasileiras precisam, por lei, fazer exatamente a mesma coisa – ou os fiscais vão lhes socar em cima uma quantidade de multas capaz de levar até o Google à falência.

Como fica, então? Se estivessem pondo “veneno” na comida, você iria ver gente caindo morta na sua frente em cada esquina, todo dia. Em vez disso, a população só aumenta. É óbvio que o uso da química, biogenética e de outras tecnologias na agricultura é uma questão de doses certas, produtos de qualidade, mais segurança quanto aos seus danos prejudiciais à saúde, mais competência no manejo. Mas nunca, também, houve progressos tão espetaculares na melhoria científica dos adubos, pesticidas, transgênicos e tudo o mais que se põe na lavoura. São os fatos. A alternativa é voltar à Idade da Pedra, quando a alimentação era 100% natural – e o sujeito precisava ter uma sorte do cão para chegar vivo aos 30 anos de idade.

No princípio era o caderno Quando mocinhas, elas podiam escrever

Língua Portuguesa

No princípio era o caderno


Quando mocinhas, elas podiam escrever seus pensamentos e estados d’alma (em prosa e verso) nos diários de capa acetinada com vagas pinturas representando flores ou pombinhos brancos levando um coração no bico. Nos diários mais simples, cromos coloridos de cestinhos floridos ou crianças abraçadas a um cachorro. Depois de casadas, não tinha mais sentido pensar sequer em guardar segredos, que segredo de mulher casada só podia ser bandalheira. Restava o recurso do cadernão do dia a dia, onde, de mistura com os gastos da casa cuidadosamente anotados e somados no fim do mês, elas ousavam escrever alguma lembrança ou uma confissão que se juntava na linha adiante com o preço do pó de café e da cebola.

Minha mãe guardava um desses cadernos que pertencera à minha avó Belmira. Me lembro da capa dura, recoberta com um tecido de algodão preto. A letrinha vacilante, bem desenhada, era menina quando via minha mãe recorrer a esse caderno para conferir uma receita de doce ou a receita de um gargarejo. “Como mamãe escrevia bem! – Observou ela mais de uma vez. – Que pensamentos e que poesias, como era inspirada!”.

Vejo nas tímidas inspirações desse cadernão (que se perdeu num incêndio) um marco das primeiras arremetidas da mulher brasileira na chamada carreira de letras – um ofício de homem.

(A disciplina do amor. Rocco, 1998.)

Assinale a alternativa INCORRETA quanto ao emprego correto

Língua Portuguesa

Assinale a alternativa INCORRETA quanto ao emprego correto dos “porquês”:

Em “Apesar do seu jeito esquisito, era amada por quase todos.”

Língua Portuguesa

Em “Apesar do seu jeito esquisito, era amada por quase todos.”, o trecho em destaque representa, em relação à frase seguinte, uma

A “protuberância occipital externa” tem 2 cm e parece um chifre virado

Língua Portuguesa

A “protuberância occipital externa” tem 2 cm e parece um chifre virado __________, na parte __________ da cabeça, logo __________ da nuca. Ela costuma aparecer em idosos, cuja musculatura enfraquecida deixa a cabeça inclinada __________ (o que força os ligamentos e tendões do pescoço, gerando essa saliência). Mas está cada vez mais comum em adultos. Isso foi constatado pela primeira vez em 2016, quando cientistas da Universidade de Sunshine Coast, na Austrália, examinaram 218 pessoas de 18 a 30 anos e viram que 41% delas tinham um esporão de 1 a 3 cm na base do crânio. Em 2018, refizeram o estudo com 1.200 participantes de 18 a 60 anos e constataram que o chifrinho havia se tornado mais comum em jovens do que entre os idosos. “Nossa hipótese é que a protuberância possa estar ligada à má postura associada com o uso de smartphones e tablets”, disse David Shahar, líder dos dois estudos.

Assinale a opção que completa corretamente as lacunas do diálogo

Língua Portuguesa

Assinale a opção que completa corretamente as lacunas do diálogo abaixo.

-__ você chegou atrasado para a reunião?

- A rua por onde passo estava engarrafada.

- Você sabe pelo menos o __ do engarrafamento?

- __ um outdoor caiu no meio da rua. Dizem que foi estratégia publicitária.

- Será que os fins justificam os meios de comunicação?!

Muito comum em nossa língua do cotidiano, o pronome “onde”

Língua Portuguesa

Muito comum em nossa língua do cotidiano, o pronome “onde” é constantemente trocado por aonde, muitas vezes de maneira indevida.

Os descaminhos do lixo Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos

Língua Portuguesa

Os descaminhos do lixo


Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos 2018/2019, produzido pela Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública (Abrelpe), em 2018 foram gerados no Brasil 79 milhões de toneladas de resíduos. Desse total, 92% foram coletados. Isso significa uma pequena melhora em relação ao ano anterior, já que, se a produção de lixo aumentou 1%, a coleta aumentou 1,66%. Essa expansão foi comum a todas as regiões, com exceção do Nordeste. Dos resíduos coletados em 2018, 59,5% receberam destinação adequada nos aterros sanitários, uma melhora de 2,4% em relação a 2017.

Mas esses relativos avanços não deveriam disfarçar a precariedade crônica do setor. A média nacional é bastante inferior à dos países na mesma faixa de renda, onde 70% do lixo recebe a destinação correta. Em 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos estabeleceu que até agosto de 2014 o País deveria estar livre dos lixões. Mas, hoje, cerca de 8% do lixo produzido no Brasil (6,3 milhões de toneladas) ainda não é sequer coletado e 40% do lixo que é coletado é descarregado em lixões ou aterros que não contam com medidas necessárias para garantir a integridade do meio ambiente e a da população local. Esta é a realidade em cerca de 3000 dos mais de 5500 municípios do País.

Assinale a alternativa em que a concordância verbal ou nominal está

Língua Portuguesa

Assinale a alternativa em que a concordância verbal ou nominal está em conformidade com a norma-padrão da língua portuguesa.

Há uma construção típica do registro informal, que não seria adequada

Língua Portuguesa

Há uma construção típica do registro informal, que não seria adequada à redação oficial, no seguinte trecho

Releia o seguinte trecho: “– Ê, cumpadi, nóis véve sofrendo muito

Língua Portuguesa

Releia o seguinte trecho:

“– Ê, cumpadi, nóis véve sofrendo muito com a danada dessa dor na perna... Por que é que nóis num vamu junto no dotô?”

Assinale a alternativa em que a concordância está em conformidade com

Língua Portuguesa

Assinale a alternativa em que a concordância está em conformidade com a norma-padrão.

A coerência dá textura à sequência linguística – entende-se como

Língua Portuguesa

A coerência dá textura à sequência linguística – entende-se como “textura” ou “textualidade” aquilo que transforma uma sequência linguística em texto, e não em um amontoado de palavras.

O numeral coletivo não está associado ao valor de sentido em:

Língua Portuguesa

O numeral coletivo não está associado ao valor de sentido em:

Leia o texto abaixo completando as lacunas com as classes gramaticais

Língua Portuguesa

Leia o texto abaixo completando as lacunas com as classes gramaticais correspondentes.

“Os _____ correspondem aos nomes próprios, seja de cidades, pessoas ou, até mesmo, marcas; as características que damos a esses nomes próprios são chamadas de _____, por exemplo, “Maracajá é linda!”.

Assinale a frase em que a preposição DE é uma exigência de um termo

Língua Portuguesa

Assinale a frase em que a preposição DE é uma exigência de um termo anterior (valor gramatical).

Assinale a frase em que o pronome possessivo mostra valor de

Língua Portuguesa

Assinale a frase em que o pronome possessivo mostra valor de deferência e respeito.

Assinale a frase que mostra uma comparação sem que seja explicada.

Língua Portuguesa

Assinale a frase que mostra uma comparação sem que seja explicada.

Na frase “Ninguém ousa dizer adeus aos próprios hábitos. Muitos

Língua Portuguesa

Na frase “Ninguém ousa dizer adeus aos próprios hábitos. Muitos suicidas se detiveram no limiar da morte ao pensar no café onde vão jogar todas as noites SUA partida de dominó” há um pronome possessivo destacado, cujo valor é o de

A charge a seguir mostra duas pessoas conversando. É o primeiro dia

Língua Portuguesa

A charge a seguir mostra duas pessoas conversando. É o primeiro dia de uma empregada doméstica na residência. Leia a conversa e veja o que acontece com as personagens.

Comunicação Disponível em: . Acesso em: 4 dez. 2016.

A casa Vendam logo esta casa, ela está cheia de fantasmas.

Língua Portuguesa

A casa

Vendam logo esta casa, ela está cheia de fantasmas.

[...]
Na sala de visitas, um pai que lê romances policiais até o
fim dos tempos.
No quarto, uma mãe que está sempre parindo a última
filha.
Na sala de jantar, uma tia que lustra cuidadosamente o seu
próprio caixão.
[...]
E no telhado um menino medroso que espia todos eles;
só que está vivo; trouxe-o até ali o pássaro dos sonhos.
Deixem o menino dormir, mas vendam a casa, vendam-na
depressa.

Antes que ele acorde e se descubra também morto.

PAES, J. Paulo. Prosas seguidas de odes mínimas. 4. reimpr. São Paulo: Cia das Letras, 2002. p. 33. (Fragmento)